quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Marque na agenda!



Palestra
ARQUEOLOGIA DOS PRAZERES




30 de Novembro - Segunda-feira
Auditório do Bloco J da FURB
19 horas
Entrada Gratuita

Fernando José de Santoro Moreira concluiu o doutorado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1998. Realizou um pós-doutorado em Filosofia na Universidade de Paris IV em 2000. Atualmente é Professor Adjunto III da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Publicou 20 artigos em periódicos especializados e 28 trabalhos em anais de eventos. Possui 15 capítulos de livros e 6 livros publicados e organizou 3 livros. Possui 4 softwares, 1 processo ou técnica e outros 105 itens de produção técnica. Orientou 11 dissertações de mestrado e 4 teses de doutorado, além de ter orientado 14 trabalhos de iniciação científica e 17 trabalhos de conclusão de curso nas áreas de Filosofia e Letras. Recebeu 6 prêmios e/ou homenagens. Atualmente coordena 2 projetos de pesquisa e dirige o Laboratório OUSIA de Estudos em Filosofia Clássica. Atua na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Antiga. Em suas atividades profissionais interagiu com 37 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. Em seu currículo Lattes os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Aristóteles, filosofia antiga, Filosofia, linguagem, Platão, Poesia, poética, ontologia, comédia e Parmênides.



Fonte: http://lattes.cnpq.br/7216316105204549

Laboratório OUSIA de Estudos em Filosofia Clássica: http://www.pec.ufrj.br/ousia/

Apoio Institucional:



segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Corpos Modernos

Daft Bodies - Harder Better Faster Stronger

sábado, 24 de outubro de 2009

Você sabe de onde vem os bebês?

Repassando e-mails: Livro infantil alemão. Dados que os e-mails 'encaminhados' nos dizem...




















quarta-feira, 14 de outubro de 2009

O Corpo Pornografado: recortes da história do cinema pornô


Dia 24 de Outubro às 16h na sala D-004:

O cinema pornográfico constitui-se ainda como ousada fronteira a ser pesquisada pelos historiadores. Desde os “stags” (curta-metragens produzidos no início do século XX), passando pelos nudies, beavers até os filmes propriamente hard-core da década de 1970, o cinema pornográfico tem na exposição e fragmentação do corpo sua estética fundamental. Sobreviventes ao patrulhamento moral e adaptando-se a diferentes tecnologias e suportes de imagem, esse tipo de cinema constitui-se como um dos mais rentosos produtos da indústria cultural, colocando em cena o corpo e suas múltiplas possibilidades de prazer.
Em “O Corpo Pornografado: recortes da história do cinema pornô”, discutiremos a caminhada do cinema pornográfico, estabelecendo alguns recortes estéticos e discutindo suas relações com as conjunturas sócio-culturais em que são produzidos. A discussão será ilustrada com cenas de stags da década de 1930, de alguns clássicos da década de 1970 (“Garganta Profunda”, “O Diabo na Carne da Srta. Jones”), de clássicos da pornochanchada brasileira (“Oh Rebuceteio!”) e de filmes contemporâneos produzidos para o suporte de vídeo (“Buttman”, “Beladona”).
A discussão será apresentada por Viegas Fernandes da Costa, historiador e escritor, especialista em Estudos Literários e pesquisador da história do corpo.

* Indicação etária: maiores de 18 anos.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009